Sistemas de Ímãs Supercondutores SuperOptiMag - Séries SOM, SOM2
Ver em 
get a quote

Sistemas de Ímãs Supercondutores SuperOptiMag - Séries SOM, SOM2

Janis

Os sistemas clássicos SuperOptiMag (SOM) fornecem acesso óptico através do vácuo do deware à região de campo forte de um ímã supercondutor dividido. A série SOM-2 tem secções inferiores quadradas ou retangulares com janelas que ficam próximas à amostra.






Configuração Padrão

Os sistemas clássicos SuperOptiMag (SOM) fornecem acesso óptico através do vácuo do dewar à região de campo forte de um ímã supercondutor dividido. A série SOM-2 tem secções inferiores quadradas ou retangulares com janelas que ficam próximas à amostra. Elas fornecem grandes ângulos sólidos e cabem em laboratórios com espaço de teto restrito. Campos magnéticos de 5-7 tesla são padrão, e campos de até 8 tesla podem ser obtidos com a chapa Lambda opcional. A maioria dos sistemas vem com um campo magnético horizontal e acesso óptico tanto paralelo quanto perpendicular ao campo. Isto permite investigar a dependência angular da interação magnética de uma amostra em relação ao campo magnético. A série SOM vem com invólucro cilíndrico de vácuo e são mais bem adequadas a sistemas que não exijam grandes ângulos sólidos ou a sistemas compatíveis com UHV, conforme discutido abaixo.

O sistema SOM-2 também pode vir com uma configuração de carregamento de amostra lateral em vácuo (veja a aba Outras Configurações) que usa um criostato de fluxo contínuo distinto para operar de menos de 2 K até 325 K. Este sistema vem com uma plataforma de translação que permite a troca de amostra sem perturbar o criostato magnético. Também pode vir com  uma plataforma X-Y que permite o posicionamento preciso de amostras na região de campo forte, com tubos de perfuração reentrantes com janelas para estudos de microscopia em fortes campos magnéticos.

Sistemas de campo magnético vertical também estão disponíveis, e eles geralmente resultam em um espaço amostral maior ao mesmo tempo que continuam a oferecer acesso óptico ao longo de duas direções horizontais. O pequeno tamanho das janelas interiores geralmente resulta em pouquíssima distorção a qualquer luz polarizada que entre na região da amostra. Para aplicações mais críticas, também oferecemos montagem de alívio de tensão para as janelas seladas a vácuo na câmara de amostra. Acesso óptico por baixo está disponível para todos esses sistemas.

Os criostatos SOM-2 tem tempos de espera estática típicos de ~130 horas. Estes sistemas oferecem valores f de 2.0 a 2.5 com um tubo de amostra padrão de 1” de diâmetro. Os sistemas SOM2 são ideais para uma gama de estudos magneto-ópticos, incluindo: dicroísmo circular magnético, espectroscopia FTIR, ressonância magnética detectada opticamente etc. Sistemas especiais também estão disponíveis com maiores câmaras de amostra, homogeneidades de campo de ± 0.01% ou melhor, e criostatos maiores. Para temperaturas menores que 1.5 K, sistemas customizados SuperOptiMag estão disponíveis, com refrigeradores especiais de He-3 e He-3/He-4, que fornecem acesso óptico, temperaturas ultrabaixas e fortes campos magnéticos em um sistema.


Especificações

Modelo de Campo Horizontal

Força de Campo Magnético

Homogeneidade de Campo

Diâmetro de Tubo de Amostra

7THL-SOM2-10

7 Tesla

± 0.5%

1.00"

7THL-SOM2-7-SR1

7 Tesla

± 0.5%

0.75"

7/8THL-SOM2-102

7 / 8 Tesla

± 0.5%

1.00"

7/8THL-SOM2-7-SR1, 2

7 / 8 Tesla

± 0.5%

0.75"

7THh-SOM2-d

7 Tesla

h%

0.75" - 1.25"

1 Janelas frias em montagens de Alívio de Tensão (S/R)
2 Campo mais forte obtido com Lambda Fridge

Outras Configurações

Configuração de Carregamento Lateral de Amostra em Vácuo para Sistemas SuperOptiMag da Série SOM2